É possível fazer brotar nascentes.


"Infitrações" por Marina Utsch

Sempre me intrigou o fato da água ser um bem que está inserido num ciclo que vai dos mananciais à chuva, e o aparente paradoxo de dizerem que ela está acabando. Como poderia estar acabando se ela vai sendo renovada por um giro natural?

O que descobri, enfim, é que os humanos alteram o ciclo da água quando impermeabilizam o solo com concreto e asfalto, impedindo que ela infiltre e caia nos lençóis freáticos. E mais: o solo compactado, das lavouras de monocultura e do pasto do gado, também dificulta a infiltração da água, causando um escoamento superficial - enxurrada- que passa levando toda a camada superficial (e mais rica em nutrientes) do solo até encontrar um curso d´água. E o rio vai sendo assoreado com tanto detrito carregado pela água de enxurrada.

Tem também o fator contaminação: os aquíferos subterrâneos recebem metais pesados de indústrias, e os rios e mares os esgotos não tratados de toda a população humana.

Contudo, o que pode parecer irreversível e sem solução é perfeitamente contornável. Limpar a água é uma realidade. Processos como sedimentação e decantação, filtros naturais como o ciclo de bananeiras (vide post anterior nesse mesmo blog) fazem possível reaproveitar a água de banheiro, de cozinha e da máquina de lavar para regar as plantas.

Processos como o reflorestamento podem causar o (re)surgimento de uma nascente. O Sebastião Salgado fez isso numa propriedade sua - no Instituto Terra. Segundo ele, o solo morto é como uma careca: a água escoa e não infiltra. Aí, chove e a água vai embora. Já o solo vivo, com raízes e árvores, é como uma cabeça cheia de cabelo: demora mais para secar uma vez que é molhada. O solo permanece úmido por muito tempo e dá um jeito de escoar o excedente de água através de algum vale que exista em seu relevo. Logo vai brotando uma nascente na raiz de uma árvore.

2 comentários:

Fabiano Tavares disse...

Muito interesante

Anônimo disse...

Parabens Mariana seu texto e bastante explicativo continue passando isso adiante o trabalho de quem quer protejer o planeta é um trabalho de formiguinha